ORIENTAÇÕES DE DEUS ÀS FAMÍLIAS - PAIS

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva

IPB de Porecatu / PR
Culto vespertino 31.05.09

TEXTO BÁSICO: Efésios 6:4
"E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor."

INTRODUÇÃO / EXÓRDIO
Neste mês de maio - Mês do Lar - temos dado importância especial à família. Sabemos que ela vive uma crise sem precedentes e que a igreja não pode se alienar dessa realidade, pois ela é composta de famílias. Se não dermos a importância devida ao tema, a família pode ser tragada pela inversão de valores que assolam a sociedade na qual vivemos. Para lidarmos com um assunto de tamanha importância precisamos conhecer o que a Palavra de Deus nos diz acerca do assunto. Na mensagem anterior (http://somentedeusgloria.blogspot.com/2009/05/orientacoes-de-deus-as-familias-filhos.html) enfatizamos quais são as instruções de Deus aos filhos. Hoje estaremos verificando o que Ele diz aos pais nesta difícil tarefa de educar estes que são jóias preciosas dadas por Deus a todas as famílias.

EXPLICAÇÃO
A Bíblia descreve uma clara estrutura de autoridade dentro da família na qual os pais conduzem os seus filhos no caminho do Senhor. Porém, como toda liderança deve ser exercida como uma forma de ministério, ao invés de uma tirania, assim esses papéis de liderança doméstica devem ser cumpridos em amor. (BEG). Encarando a família desse modo, COMO UM MINISTÉRIO, entenderemos que os filhos não pertencem a nós, ELES NÃO SÃO NOSSOS, mas são de Deus e o Senhor nos concede a graça e o privilégio de cria-los para o próprio Deus. Por isso, devemos cria-los e educa-los conforme Deus quer e nos ensina na Escritura, e não conforme os padrões do mundo.

ARGUMENTAÇÃO (DIVISÕES)
O tema aqui abordado é muito extenso e certamente nesse espaço não será possível dissecá-lo totalmente. Livros e mais livros são escritos, congressos e cursos são dados com o intuito de preparar e aprimorar pais e líderes para essa tão difícil e primordial tarefa. Analisaremos aqui o texto lido e algumas implicações do mesmo.

EDUCAR COM RESPONSABILIDADE. Podemos assim sintetizar a idéia do versículo vs. 4. É preciso que os pais tenham sabedoria e responsabilidade para educar os seus filhos. Como foi dito acima, eles são jóias preciosas e não nos pertencem, mas são do Senhor. Nós, pais, vamos prestar contas a Deus pelo que fizermos ou deixarmos de fazer com estes cordeirinhos do Senhor. Por isso, PAIS, muita atenção ao ensinamento.

Este versículo é interpretado de duas maneiras diferentes: a ira citada no texto refere-se à ira dos filhos ou a ira de Deus?

IRA DOS FILHOS. Dentro dessa interpretação, os pais não devem importunar e nem irritar seu filhos. A ira nesse caso seria dos filhos, fruto de algum tipo de arbitrariedade, abuso de autoridade, ou falta de sabedoria dos pais. Isso pode ocorrer, pois a autoridade que os pais têm sobre seus filhos deve ser exercida com amor e responsabilidade, porém, nem sempre é o que acontece. Mas não creio que seja isso que o autor de Efésios tinha em mente. Esse pensamento está mais claro em Cl 3:21 que diz:
“Pais, não irriteis os vossos filhos, para que não fiquem desanimados.” Cl 3:21.

IRA DE DEUS. Creio que o modo correto de se interpretar Ef 6:4, é que os pais não causem a ira de Deus sobre seus filhos. Como isso poderia acontecer? De que modo os pais poderiam causar um mal tão grave como esse, provocando a ira de Deus sobre seus próprios filhos? Deixando de exercer a sua autoridade sobre eles através da disciplina e na admoestação; não lhes ensinando os princípios da Palavra de Deus, mas bajulando-os e mimando-os, desse modo tornando-os rebeldes, teimosos, mandões, desobedientes, carnais e mundanos.

CONTEXTO PRÓXIMO. Essa segunda forma de entender o texto tem reforço no próprio texto, que é partícula “MAS” que une a primeira com a segunda parte do texto, dando o entendimento que a prática da disciplina e a admoestação no Senhor, é o modo de não causar a ira de Deus na vida dos filhos. Se o sentido fosse a ira dos filhos e não a ira de Deus, a disciplina não causaria tanta controvérsia, pois quando os pais exercem a disciplina, a primeira reação dos filhos não é a aceitação passiva, mas a contestação e o nervosismo, ou seja, a própria ira.

CONTEXTO REMOTO. A idéia encontra reforço em outros textos de outros livros da Bíblia. Citarei apenas um texto: Provérbios 23:13,14 que diz:
“13 Não retires da criança a disciplina, pois, se a fustigares com a vara, não morrerá. 14 Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno.”

Educar os filhos é a arte de moldar do caráter deles. Aos pais foi dada essa incumbência que deve ser cumprida com temor e tremor diante de Deus. A educação dos filhos na Palavra de Deus (Educação Cristã) é algo tão importante, e requer dos pais que tenham a exuberância de um testemunho íntegro diante de Deus, encarando sempre essa tarefa como um ministério que eles receberam da parte de Deus.

A idéia de Ef 6:4 é que os pais podem afastar seus filhos da ira divina que se manifestará sobre toda a Terra, através de um modo de educar com responsabilidade e temor diante de Deus. Como praticar esse tipo de educação? O que o texto bíblico nos diz? É o que veremos a seguir.

1 – DISCIPLINA
A primeira ação dos pais em destaque no texto de Efésios 6:4 é a disciplina. Esse tema é descartado por muitos pais e educadores que questionam esse princípio bíblico de educação.

Avaliaremos a seguir alguns versículos no livro de Provérbios, onde a disciplina é exposta como uma forma de treinamento corretivo positivo para conduzir as crianças à sabedoria e ao domínio próprio.

Disciplinar é um ato de amor. Cuidado com as palavras ofensivas, com o nervosismo e o ódio.
“O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina.” Pv 13:24.

Disciplinar não é torturar ou espancar. Isso deseduca e destrói ao invés de educar e constrir.
“Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo.” Pv 19:18.

A disciplina traz livramento e paz, pois a estultícia (ausência de sabedoria) trará consigo o desgosto e a tristeza.
“A estultícia (rebeldia) está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a afastará dela.” Pv 22:15.

Disciplinar para ensinar o temor do Senhor.
“Não retires da criança a disciplina, pois, se a fustigares com a vara, não morrerá. Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno.” Pv 23:13,14.

Disciplinar para dar sabedoria e domínio próprio.
“A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe. Corrige o teu filho, e te dará descanso, dará delícias à tua alma.” Pv 29:15,17.

CORREÇÃO E LIMITES. A questão da disciplina é muito séria e pode ser exercida de diversas maneiras: a vara para as crianças é indicada em casos extremos e até uma certa idade. Haverá um tempo em que os pais colherão os efeitos do que semearam na vida de seus filhos desde a mais tenra idade. Mas disciplinar não é somente usar a vara, ela é o último recurso. Uma boa conversa, a chamada de atenção e as proibições são outros modos de se aplicar a disciplina, e em muitos casos funcionam mais do que a vara. Educar é ensinar à criança os limites que ela tem. Na adolescência a disciplina deve ser aplicada com muito mais sabedoria: conversando, “dando bronca”, e se for necessário, e aplicando o castigo das privações que são proibições, limites impostos pelos pais para o bem de seus filhos.

AMOR E ORAÇÃO. Acima de tudo os pais precisam desenvolver em seus filhos a consciência de que eles são seus melhores amigos, os AMIGOS DE VERDADE, e que desejam sempre o bem de seus filhos. Após uma correção pais e filhos não devem “ficar de mau”, sem conversar, amargando ódio uns pelos outros. É preciso que tudo seja feito com amor, diálogo e oração, e os pais tem o dever de exercer a iniciativa e a autoridade. Assim os filhos desde pequeninos entenderão que os pais os tratam assim porque os amam, e desejam que eles aprendam o que Deus ensinou na Palavra porque valorizam a Palavra de Deus.

Por isso os pais também admoestam seus filhos, que é o nosso 2º ponto.

2 - ADMOESTAÇÃO
A família deve ser uma comunidade de ensino e aprendizado a respeito de Deus e da piedade (observância das Escrituras). A criança deve ser instruída e encorajada a usar essas instruções como base para a sua vida. Em vários textos temos a orientação segura quanto ao ensino da Palavra de Deus aos filhos desde a mais tenra idade e que pode dar-lhes um coração temente a Deus e por fim a vida eterna.

“Tão-somente guarda-te a ti mesmo e guarda bem a tua alma, que te não esqueças daquelas coisas que os teus olhos têm visto, e se não apartem do teu coração todos os dias da tua vida, e as farás saber a teus filhos e aos filhos de teus filhos.” Deuteronômio 4:9.

Deuteronômio 6:4-9
“4 Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. 5 Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. 6 Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; 7 tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. 8 Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. 9 E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas.”

Notemos que para ensinar e educar com responsabilidade os pais também precisam viver o que estão ensinando.
Vs. 4 – o Senhor é verdadeiramente o Senhor dos pais?
Vs. 5 – não basta que os pais falem acerca de Deus, é necessário que eles de fato amem a Deus “...de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força.” O amor a Deus nos aproxima dEle. Como é o procedimento dos pais em seus lares? O que os filhos vêem na vida cotidiana do lar?
Vs. 6 – os pais amam a Palavra de Deus? A Bíblia é lida pelos pais em casa?
Vs. 7 – para falar tanto assim da Bíblia é necessário que os pais procurem praticar mesmo o que estão falando, do contrário não surtirá o efeito desejado, mas um efeito totalmente negativo, em que os filhos entenderão que os seus pais estão fingindo ser cristãos e ordenando algo que nem eles mesmos desejam para as suas vidas.
Vs. 8 – por isso a Palavra deve estar presente em nossas decisões e muito mais do que meras teorias, mas fazendo parte de nossas ações e decisões (mãos), e pensamentos e idéias (todo teu entendimento). Essa fé se fará visível até no rosto daqueles que a amam (frontal entre os olhos).
Vs. 9 – aos pais cabe a obrigação de controlar o que entra na casa onde a família habita. Desde cedo os filhos verão que seus pais amam tanto a Palavra de Deus que até adornaram a casa escrevendo a Palavra de Deus nas paredes e nas portas (quadros, etc). A Bíblia passará a fazer parte de tudo que essa família faz trazendo orientação e influenciando as decisões. A Palavra de Deus tem poder para forjar o caráter e transformar a vida das pessoas.

Aqui também se aplicam as palavras de 1 Timóteo 5:8.
“Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente.”

O grande problema de muitos lares é a incoerência e falta de responsabilidade dos pais diante de Deus. Existem muitos casos em que os pais são os mestres de pecado de seus filhos, onde os pais por não crerem e não amarem a Bíblia a desprezam e praticam todo tipo de males. Mas aqueles pais que seguem o padrão ensinado por Deus, colherão o fruto de seu trabalho e verão o resultado de seu esforço na vida de seus filhos.

É necessário que os pais tomem a decisão e tenham a convicção de Josué.
“Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.” Josué 24:15b.

CONCLUSÃO
FILHOS – Amem seus pais, mas não somente de palavras, amem de coração, honrando-os e obedecendo-os. Se os seus pais não servem a Cristo e por isso não obedecem a Palavras de Deus, então é necessário que você se veja como um (a) missionário (a) em seu lar. Testemunho, vida, oração... Aproveitem bem as oportunidades para transmitir o amor de Deus. Que seus pais, sua família vejam vocês como verdadeiros (as) filhos (as) de Deus. Assim vocês serão abençoados pelo Senhor Deus, e estarão dando provas de que realmente amam aos seus pais e acima de tudo, amam ao próprio Deus. Lembrem que um dia seus pais foram filhos, passaram por tudo que vocês estão passando; e que vocês também passarão pelo que eles estão passando, pois um dia vocês se casarão, constituirão família e serão os pais. Portanto aprendam hoje, semeiem hoje para que possam colher amanhã. E sejam filhos abençoadores.

PAIS – Procurem viver a vida do lar com simplicidade, responsabilidade, respeito, e acima de tudo AMOR. Procurem conhecer a Bíblia através de sua leitura sistemática. Creio firmemente que a leitura traz o conhecimento e o conhecimento traz o crescimento na fé e na espiritualidade. O culto doméstico tem um papel preponderante na vida dos lares cujos pais desejam abençoar seus filhos com o ensinamento e a educação que vem do Senhor Deus. Não podemos ser “igrejistas”, isto é, crentes que são crentes apenas na igreja. Precisamos ser crentes em todos os lugares, a começar em nossos lares. Os pais são como pastores em seus lares. Cumpramos nossa tarefa, nossa missão, nosso ministério. Entendamos que podemos e devemos ser os formadores de opinião de nossos filhos. Não sejamos um mau exemplo, um mau testemunho em nosso próprio lar. Tenhamos humildade e maturidade para amar e saber como lidar com nossos filhos. Se alguns pais tem filhos que não servem a Cristo, eles precisam se enxergar como missionários no lar. Dê testemunho de sabedoria e amor, tenha uma vida com Deus, vida no altar, vocês são observados todo tempo. Saibam aproveitar cada oportunidade para que, além de serem pais crentes, sejam os amigos de seus filhos, e sejam também influenciadores. Com a graça de Deus vocês poderão ganhar os seus filhos para Cristo.

Que Deus abençoe nossas famílias!

S.D.G.

Material de apoio
ABA – A Bíblia Anotada
BEG – Bíblia de Estudo de Genebra
PEB – Pequena Enciclopédia Bíblica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL