NASCIA UMA NOVA MULHER

“(…) aquele que dentre vós estiver sem pecado seja 
o primeiro que lhe atire a pedra.” João 8:7.

Jesus é provado por um grupo de religiosos. Eles têm um objetivo definido: ver Jesus ferir a Lei e ser por ela mesma condenado. Usam para isso uma mulher pega em flagrante adultério. Os religiosos não estavam atentos à mulher e nem ao homem que com ela já não mais estava. Eles a usam como uma isca para tentar “pescar” Jesus.

A resposta do Mestre revela um conceito desconhecido para religiosos bitolados, que agem como lhes interessa, que divinizavam a Lei e que ainda não conheceram o Senhor Jesus. Ela não foi morta em praça pública. Os acusadores foram deixando o lugar como se eles tivessem sido apedrejados. Cristo os confrontou com uma verdade inquestionável: todos somos pecadores. Não podemos julgar o outro e tampouco condená-lo. Somos pecadores e precisamos desesperadamente do perdão de Jesus. Jesus identificou que havia na mulher um sincero arrependimento. Ele não a condenou. Ele não a expôs publicamente. Ele a perdoou. Nascia uma nova mulher.

Ore
Senhor, reconheço que somente Cristo pode apagar as consequências do pecado em minha vida. Por meio dEle posso experimentar esperança semelhante à daquela mulher adúltera, que se arrependeu e foi perdoada. Por Jesus, amém…

Cada Dia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL