O Jovem Timóteo - Parte 1



“Paulo, Apóstolo de Cristo Jesus [...] a Timóteo, verdadeiro filho na fé [...]” 1 Timóteo 1:1-2.

A mocidade da IPNA reuniu-se no sábado 17/06 para pensar e estudar sobre o jovem pastor Timóteo, seu ministério, e como essas inferências podem afetar a vida de todos os jovens e de todos os crentes. Essa foi a primeira de três reuniões sob o título: UMP Encontros - O Jovem Timóteo.

Nos propomos a verificar quais são as principais expressões e verbos que aparecem nas duas Cartas de Paulo a Timóteo relacionando-se diretamente a sua pessoa, e como afetam a nossa vida cristã em comum. Excluímos de nossa análise os textos que tratam de assuntos doutrinários, isto é, relacionados à (s) Igreja (s) onde ele foi pastor.

1 Timóteo
1:2 - A expressão “filho na fé” indica o nível de aproximação que Paulo tinha com Timóteo. Seria ele fruto do trabalho evangelístico de Paulo? Ou teria sido Paulo o seu discipulador? Não sabemos ao certo esses detalhes, mas certamente Timóteo era submisso a Paulo e estava sob seus cuidados pastorais. 
Aplicação: o jovem crente precisa ser submisso ao seu pastor, e no devido tempo poderá ter alguém sob seus cuidados espirituais.

1:3-4 - Lembra que lhe rogara para que admoestasse certas pessoas que não ensinassem doutrinas estranhas. Haviam pessoas ensinando falsas doutrinas e Timóteo deveria admoesta-las (exortar, chamar a atenção, repreender, aconselhar, ensinar).
Aplicação: o jovem crente deve conhecer bem as doutrinas da Bíblia para combater as falsas doutrinas, se essas surgirem. Se não estiver devidamente preparado poderá ser enganado pelos falsos mestres.

1:18 - Encarrega do dever de combater o bom combate. Esse bom combate deve ser interpretado como a nossa luta espiritual contra as hostes da maldade (Ef 6:11-12), mas também contra a nossa própria natureza pecaminosa (Tg 1:13-15; Mt 15:19).
Aplicação: o jovem crente deve estar sempre pronto, como um guerreiro espiritual que luta o bom combate, não contra seus irmãos, mas contra a sua natureza pecaminosa e contra o próprio diabo.

1:19 - Manda que mantenha a fé e a boa consciência. Isso tem a ver com a transparência de quem tem uma mente sã, que é uma pessoa legítima, verdadeira, ou seja, de que não carrega sobre si culpa alguma, que não pode ser acusado de nada porque “não tem dívida em cartório”. Obviamente ninguém é perfeito, porém a fé (Ef 2:8) é que nos capacita a confiar na graça de Deus, tanto para nos libertar quanto para nos curar e transformar.
Aplicação: o jovem crente precisa esforçar-se por desenvolver esse tipo de caráter sincero, verdadeiro, transparente. Muito cuidado, a falsidade e a mentira rondam o coração humano.

2:1,8 - Exorta ao uso de súplicas, orações, intercessões e ações de graças.
Aplicação: o jovem crente deve desenvolver e crescer em um estilo de vida de oração. Sem oração não há crescimento espiritual. Muita oração, muito poder; pouca oração, pouco poder; nenhuma oração, nenhum poder. Infelizmente a maioria dos jovens crentes não praticam a oração e por isso são fracos, imaturos e vulneráveis.

3:1-7 - Trata do bispo e suas qualificações (o que inclui Timóteo). Resumão: almejar fazer a obra de Deus; ter uma conduta ilibada, pureza, controle emocional, equilíbrio, humildade, hospitalidade (os hospitaleiros receberam anjos em seus lares ...), pronto para o ensino, sem problemas com álcool (cigarros, drogas, etc.), manso, não gostar de brigas, não apegado ao dinheiro e bens materiais, que saiba educar (e seja educado), que vença o orgulho (laço do diabo).
Aplicação: o jovem crente não pode ficar a vida inteira pensando que esses itens cabem somente aos pastores e presbíteros. É preciso que haja o entendimento de que essas qualificações devem ser buscadas por todos aqueles que amam ao Senhor de coração.

3:15 - Ficar ciente sobre como proceder. Paulo dera essas orientações com um intuito muito claro: saber como agir na Igreja.
Aplicação: muitas pessoas não sabem como agir na Igreja, agem como se fosse um clube, uma lanchonete, a escola, ou sua própria casa. O jovem crente precisa aprender a discernir essas coisas, pois a Igreja é a Casa de Deus, lugar santo, Casa de Oração e louvor.

Por: Pr. Paulo Sergio Visotcky da Silva
Soli Deo Gloria!!!

UMP Encontros (1) 17/06/07
Rua Álvares Fagundes, 102, Americanópolis, São Paulo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT